SEGUIDORES:

sábado, 28 de janeiro de 2012

Canal 23?


Imagem: http://julysilver.blogspot.com
1.O Televisor é o meu pastor e tudo me faltará, inclusive o meu crescimento espiritual.
2.Deitar-me ele faz nos pastos mundanos, para levantar-me vazio das coisas de Deus. Guia-me sutilmente às águas turbulentas da corrupção, até que eu pereça.
3.Abrasa a minha alma, guiando-me pelas veredas da injustiça, tomando-me o tempo que eu deveria dar a Deus, fazendo-me abandonar meus deveres de crente; porque tenho que assistir minhas novelas, jogos e programas prediletos por amor do meu televisor.
4.Ainda que eu ande pela sombra da morte, continuarei assistindo o meu televisor enquanto ele funcionar, sem nada temer, porque ele é o meu companheiro mais achegado. suas músicas e sua imagem me consolam, pois ele renova meus conhecimentos sobre as coisas do mundo, não me deixa estudar a Palavra de Deus e faz com que eu falte aos cultos ou os assista pela metade.
5.Prepara-me uma mesa na presença dos meus inimigos e me faz derrotado, pois o meu televisor oferece muita distração, trazendo o mundo para dentro de casa, tirando minha visão espiritual e de minha família. Ele enche minha cabeça de tal maneira que o meu cálice de ilusões deste mundo transborda, e eu estou sempre a falar dos seus programas. Falo tanto que Palavra de Deus não tem mais lugar na minha vida, na minha família, em minha casa.
6.Certamente que o mal e a miséria me seguirão todos os dias da minha vida, porque o meu televisor me faz contrariar a vontade de Deus. Assim, não poderei ter o prazer de pensar que habitarei no lar celestial para todo o sempre, onde não existe televisor.

   Existem muitas versões deste tema. Uma ótima está publicada no blog do Israel. Outra, publicada no Jornal Batista de maio/1999 pode ser lida no reflexão bíblica. O texto escolhido foi publicado no Lifenews de fev/1999.
   Obviamente, não se está falando do aparelho, mas do conteúdo, da programação e, especialmente, da preferência do telespectador, isto porque já existe a opção de variados canais onde a Palavra de Deus é anunciada além de outras programações realmente interessantes. A dura realidade porém, é a de que a esmagadora maioria dos programas e canais está abarrotada do que não presta, sob todos os ângulos;
    Esse meio de comunicação que tem o poder de massificar jeitos e trejeitos, formar e transformar opiniões e comportamentos, tem sido elevada à condição de comandante de alguns lares, verdadeira responsável pela educação, onde é a babá, a ditadora da moda, modos, costumes etc. Crianças estão crescendo com a percepção deformada, afetadas intensamente e em alguns casos, irremediavelmente, por esse agente. Tudo o que é anormal pode se tornar normal e aceitável sob a infuencia colorida da programação de tv.
    Como uma droga, ela prende, vicia, detêm. Há crentes que chegam tarde aos cultos ou não vão ao templo para não perder o capítulo da novela ou a sessão de filmes. Trocam momentos com o Senhor por momentos com a tv.
Livre-se desta tirania. Tenha discernimento e escolha o que é bom. Aprenda a desligar a TV quando não houver opção saudável a assistir; controle o controle remoto e não permita o contrário. Ouça seus filhos, converse com seu cônjuge, faça o culto doméstico, leia a Bíblia, ore, saia com a família; Enfim, perceba que a tv não é a razão de você estar em casa.

   Diz o Senhor: "Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura. Inclinai os vossos ouvidos, e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá;" Is 55.2,3
_______________________________________________________________________
                               A CRIANÇA QUE QUERIA SER UMA TV!
   Eis a oração de uma criança:
- “Senhor, faze de mim um aparelho de televisão, para que meus pais me tratem como eles tratam o televisor. Para que olhem para mim com o mesmo interesse como olham para a tela da TV; especialmente quando minha mãe assiste sua novela favorita e meu pai o seu esporte predileto. Eu queria falar como aqueles homens, pois quando eles falam, fica toda a família em silêncio para ouvir bem o que eles têm a dizer.
- Eu gostaria de ver mamãe se admirar de mim, como ela se admira quando vê a última moda na tela. Eu gostaria que meu pai risse comigo como ele faz quando os artistas contam suas piadas. Eu gostaria que meus pais me dessem tanta atenção quanto ao televisor. Quando este não funciona, imediatamente mandam chamar o técnico para consertá-lo.
- Eu gostaria de ser um televisor e assim ser o melhor amigo e a pessoa mais importante para os meus pais. Oh! Pai do céu, se Tu me transformasse num televisor, eu novamente teria pais e poderia me sentir feliz!
- Pai, faz de mim um televisor, em nome de Jesus. Amém “.
Do Livro: Conta mais uma 
Autor: Josué Gonlçaves 
Ed. Mensagem para Todos

 Vi primeiro no Blog  http://silvio-araujo.blogspot.com

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

De joelhos você não cai!

    Você já viu um passarinho dormindo num galho ou num fio, sem cair? Como é que ele consegue isto? Se nós tentássemos dormir assim, com certeza iríamos cair!!!
    O segredo está nos tendões das suas pernas. Eles foram construídos de forma que, quando o joelho está dobrado, seu pé segura firmemente qualquer coisa. Os pés não irão soltar o galho até que ele desdobre o joelho para voar.
    É uma maravilha não é? Que projeto incrível o Criador fez para segurar o passarinho.
    Mas, não é tão diferente de nós. Quando nosso galho, na vida, fica precário e tudo está ameaçado de cair, a maior estabilidade nos vem de um joelho dobrado mas, dobrado em oração.
    Se você, algumas vezes, se vê num emaranhado de problemas que o fazem perder a paz e a alegria, não se entregue ao desânimo e faça de Jesus o seu melhor amigo.
    Ele está ansioso para ajudá-lo, fortalecê-lo e abençoa-lo. É Jesus que renova suas forças e a sua fé.
    É Ele quem renova suas forças e sua fé. E se Ele cuida de um passarinho, imagina o que não fará por você, que é seu filho amado?! Basta você CRER!
"Lançai sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós" 1 Pedro 5:7
Autor Desconhecido

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O (mau) gosto popular pelo lixo musical


     Basta andar meia hora pelos centros comerciais dos maiores bairros ou mesmo no centro do Recife para perceber a imbecilização massiva do povo através da música. É impossível não notar que a safra de bandas e "cantores" que tomam as paradas está pra lá de podre. Pior é saber que o (des)gosto do povão, a maioria na faixa etária de 11 a 23 anos, foi aos poucos sendo moldada para consumir esses restos e boa parcela de culpa é da mídia televisiva, que traz para os programas de maior audiência os estilos musicais mais non sense que se pode imaginar, acompanhado de coreografias idem, projetando-os com estardalhaço, numa grande e descarada apelação. 
     Outra fatia de culpa vem dos produtores e das gravadoras, ávidos por lucro, lançando sucessos efêmeros sem a menor preocupação com os resultados. Daí a erotização, a coisificação da mulher, a banalização do casamento, o reúdio à fidelidade e honestidade, a exaltação à embriaguez, o estímulo ao consumo de drogas, incitação à violência e outros desvios. A censura de fato era má, mas o extremo que estamos vendo é igualmente danoso.
     Como exemplo é só lembrar a polêmica que envolveu uma grande "estrela" ao defender a insinuação pedófila da música do grupo Ó Back, "O Lobo Mau", que ela mesmo cantou no carnaval baiano do ano passado. Dividiu artistas da região e até provocou uma inusitada ação de uma deputada estadual da Bahia defendendo a proibição de letras de duplo sentido (longo onde... ). Se houvesse um produtor mais sensato, a música nem seria lançada.
     Aliás, a decadência da MPB também passa pela Bahia, onde os poemas e as tiradas inteligentes dos antigos baianos deram lugar aos monossílabos, repetitivos e ininteligíveis frases dos novos baianos. Desculpem-me os baianos, gente boa, mas parem um pouco e percebam se isto não é verdade que alguns de vossos ilustres artistas, bandas e grupos de maior sucesso no cenário musical se resumem ao grunhido e à onomatopéia.
     Indo mais longe, não deixo de culpar a péssima formação cultural e educacional das escolas de hoje. Isso faz com que a compreensão seja limitada (e o vocabulário mais ainda), daí a invasão de "composições" mais diretas, com jargões, gírias, erros gramaticais e linguajar abaixo do popularesco.
     Nada contra o fato de ser produzido na periferia, afinal, grandes nomes da nossa música popular foram de origem humilde, mas o que produziram foi boa e inteligente arte e não o que se vê hoje.
     E a lista de possíveis cooperadores do caos é crescente e não se exaure num post. Há ainda o mais importante: a degradação do ser humano pelo pecado, que corroi, destroi mesmo qualquer resquício de sensatez e moralidade. O diabo manipula os homens, torna-os insanos, derruba-os da condição de coroa da criação para abaixo do limiar das criaturas irracionais. Como o coração e a mente estão sempre ocupados pelo pecado, inevitavelmente o que se compõe, estará sempre muito (ou totalmente) contaminado pelo diabo.
     Rítimos, danças e trejeitos musicais, tem se tornado perigosas armas, especialmente aqui no NE, onde os limites do bom senso já estão sem porteira há muito tempo e os impropéritos e desvarios tornam algumas dessas "obras", verdadeiras pornofonias comerciais. As insinuações são coisas do tempo da vovó. A depravação moral dos autores dos "textos" de alguns desses hits são explícitos e até detalham e estimulam abusos, desvios comportamentais e crimes, dentre os quais, a pedofilia como já citei.
     O simples fato de serem executadas em emissoras - a maioria formada de rádios comunitárias - e em alto volume nos bares, ônibus, porta-malas de carros e carrocinhas de cds piratas já é um grande atentado à dignidade e à ordem pública (ainda existe esse termo?) além de agressão à grande parte da população que sofre o martírio de ser atacada auditivamente por essas porcarias.
   Outro problema é classificar tais peças como música. Às vezes faltam até os elementos básicos (lembram-se de melodia, harmonia e ritimo?), restando uma batida feiosa, com instumental horrível e mal executado, tendo ao fundo vozes subtonadas, semitonadas, desafinadas e todos os termos que puderem ser usados para classificar cacofonias.
    Não vou citar algumas dessas "pérolas", até porque os títulos são chulos; apesar de me sentir incomodado ao ouvi-las, não as catalogarei. No Brasil há o direito de livre expressão para todos os que quiserem esculhambação e ameaça de censura e mordaça para quem ousar protestar pelo bom direito da ordem e decência. O estimado leitor poderá saber mais sobre letras, grupos e até sobre o movimento que critica essa onda de desfavor musical, utilizando o Google como grande ajuda.
 Silvio Araújo

Vi primeiro no Blog http://silvio-araujo.blogspot.com

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

"Eu sou" - Uma música para analisar!


    Continuando a série de posts sobre Música Evangélica e desvios teológicos, demonstro um exemplo de problemas com traduções e versões como citado na postagem "Pobreza Teológica das Composições Evangélicas".

     A peça em questão é a música "EU SOU" (I Am), composição de Michael W. Smith e L. Wayne Hilliard. Batista de formação, Michael W. Smith é dos mais proeminentes compositores norteamericanos. É também cantor e figura constante nas Cruzadas dos evangelistas Billy e Franklin Graham.

    Veja a composição original: 

I am Alpha and Omega,
the beginning and the end.
the first and the last,
I am, I am
I am the root of David,
the bright and morning star
I am the lion of Judah.
I am, I am
I am faithful and true.
I am the Word of God.
I am the lamb.
I am, I am
I am the resurrection,
and He that lives.
I am alive forever.
Amen, Amen.
I am King of kings
and Lord of lords.
I am the holy Lord,
God Almighty which was and is and is to come.
I am, I am,
I am that I am.
I am faithful and true.
I am the Word of God.
Almighty tha was, and is
And is to come
I am, I am
I Am that.
I Am

     Os títulos honoríficos do Senhor Jesus estão aqui expressos como descritos no Livro de Apocalipse. Sua divindade é revelada nos atributos e termos Deus Todo Poderoso e Onipotente, além de sua eternidade.

     Esta música é mais conhecida no Brasil por interpretações corais. Ela foi traduzida e lançada num explêndido arranjo para até 11 vozes pelo Coral Sinfônico do Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil - STBNB, no álbum "É isto amor (1986)", distribuído pela antiga JUERP. Ainda hoje faz parte do repertório de vários coros de muitas denominações. Eu mesmo regí esta música muitos anos, interpretada pelo Coro Jovem Life, da AD em Córrego do Botijão (Recife/PE).

     A tradução foi feita pelo Dr. Fred Spann, missionário batista (Junta de Richmond/Batistas do Sul dos EUA), pastor, fundador do Coro Sinfônico, diretor do curso de música do STBNB por 35 anos. Perceba que a ortodoxia teológica permance no texto traduzido e porisso, esta música leva muitos a glorificarem a Deus. É salutar e edificante ouvi-la. Compare:

Eu Sou a Raiz de Davi,
A Estrela da Manhã,
Leão da Tribo de Judá,
Eu Sou, Eu Sou
Eu Sou o alfa e o ômega,
O princípio e o fim,
Primeiro e útimo, Eu Sou...
A Verdade, Fiel Palavra de Deus,
Sou o Cordeiro, Eu Sou, Eu Sou,
Eu Sou a Ressurreição,
Aquele que vive pois vivo eternamente
Amém! Amém!
Eu Sou o Rei do reis, Senhor dos Céus,
Eu Sou o Santo, Santo Deus Poderoso,
Que era, que é e sempre será
Eu Sou, Eu Sou, Eu Sou

     O problema aparece quando grupos de grande nome no cenário evangélico brasileiro ligados a igrejas que não têm o mesmo perfil teológico e ortodoxo do que as denominações tradicionais pregam e que terminam por deturpar a mensagem cantada e inserir heresias nas suas divulgações.

     No caso em apreço, a versão divulgada pelo GRUPO PRISMA BRASIL (da Igreja Adventista do Sétimo Dia) nos álbuns "Ensina-nos a Orar (1985) e "Nos Braços de Jesus - Grande Coro Nordeste (2004)".

     Ora, todos sabemos que a IASD, apesar de preservar algumas doutrinas ortodoxas, tem sérios problemas em relação a Deidade de Cristo, Trindade, Expiação do Pecado etc, numa perigosa mistura que vem sendo espalhada especialmente através de suas músicas. E olhe que atualmente a IASD é referência em música cristã no Brasil, inclusive em ensino, superando em excelência, há muito, os batistas, que instituiram por décadas modelos de administração musical em muitas igrejas.

     Não estou dizendo que tudo o que o Prisma ou cantores adventistas gravam é condenável. Não se trata disto e sim de FILTRAR cada peça, analisando o texto à luz da Bíblia e do perfil teológico da igreja. Muito do que usamos, inclusive eu, é de origem adventista (Arautos do Rei, Prisma, Tom de Vida, Coral Carlos Gomes, Coral da UNASP, Alessandra Samadello etc).

     É também um momento para pensar como nossa  música (AD) é carente de produção genuína e está à mercê de outras ramificações.

     Veja o que foi feito com o texto. A deformação da poesia e  do sentido chega ao absurdo de substituir título honorífico de "Leão da Tribo de Judá" (Ap 5.5) e afirmar que Jesus é o "Leão da Judéia" (animal da região geográfica) além de indefini-lo como Deus e trocá-lo pelo genérico "El". Confira:

Geração Sou de Davi
Estrela no amanhecer
 Eu Sou o Leão da Judéia 
 Eu Sou... Eu Sou
Eu Sou o Alfa e o Ômega
O Princípio e o Fim
Primeiro e Último
Eu Sou... Eu Sou
Sou Confiança, Verdade
Palavra Sou de Deus
 Sou o Cordeiro
Eu Sou... Eu Sou
Eu Sou Ressurreição
E El' que vivo está
Eternamente Eu Sou
Amém, amém
Eu Sou o Rei dos reis e Senhor
Eu Sou o Santo, Santo Deus
Poderoso que foi, e é, e O será
Eu Sou... Eu Sou... Eu Sou...
Sim, Eu Sou... Eu Sou... Eu Sou...
Eu Sou!!!

    Leão da Judéia? Quem é "El"? "A" Palavra de Deus ou uma palavra de Deus? Por que não "A" ressurreição?

    Fica o alerta para todos os que têm responsabilidade com a música na igreja, sejam ministros, maestros e  cantores para que sirvamos a Igreja com alimento puro, que edifica, consola e exorta. Até a próxima!
Vi primeito no Blog  http://silvio-araujo.blogspot.com

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Foto de pássaros vira partitura!!!


Públicitário e músico, Jarbas Agnelli visualizou partitura na imagem captada pelo fotógrafo Paulo Pinto


Tudo começou com a foto de pássaros pousados nos fios de luz de uma rua feita pelo repórter fotográfico do Estado Paulo Pinto, de 49 anos, no interior do Rio Grande do Sul. Uma cena normal, dependendo do olhar. Para o paulistano Jarbas Agnelli, de 46 anos, a imagem "soou" como música. Notas numa partitura foram o que lhe pareceram as aves nos fios de alta tensão. Publicitário e músico, Agnelli recortou a foto publicada no Estado na quinta-feira passada e, naquela noite, no estúdio de sua casa, começou a compor com base nas notas que enxergou na imagem.
"Pássaros empilhados viraram acordes e os solitários, notas no teclado", diz Agnelli. "Depois coloquei o xilofone e, na sequência, clarinete, fagote e oboé." João, de 17 anos, o filho do meio de Agnelli, não botou fé no movimento do pai, apesar de estar acostumado a vê-lo criar em cima de filmes e fotos caseiras. Foi o que Jarbas fez, por exemplo, com as fotos da pequena Nina, sua caçula de 4 meses, no vídeo The Mini Adventures of Nina, que mostra de forma engraçada a rotina de um bebê.
Jarbas é conhecido publicitário, com campanhas premiadas. Já levou o Grand Clio, um dos principais prêmios da publicidade mundial, em 2001, entregue em Miami. Na época, ele trabalhava ainda na W/Brasil, agência em que ficou por 13 anos. Hoje, tem seu próprio negócio, o AD Studio. "A inspiração pode vir de qualquer lugar, mas é preciso estar atento", diz ele.
Assim que a música dos pássaros ficou pronta, Agnelli ligou para Paulo Pinto. "Não acreditei que ele tivesse entendido o que eu vi na hora que fiz a foto. Para mim, os pássaros também pareciam notas", admirou-se Paulo, que mandou por e-mail a foto original, sem cortes. "Quando recebi, vi que a versão editada no jornal tinha eliminado oito pássaros, ou seja, quatro notas no início e quatro no final da música", diz o publicitário. "Fiquei surpreso porque era exatamente o que faltava para finalizar a melodia.

Publicado no Estadão
Vi primeiro no Blog  http://silvio-araujo.blogspot.com

sábado, 14 de janeiro de 2012

Pequisa diz que ingresso na universidades afasta jovens do Evangelho

"Pesquisa realizada no ano de 2006 por Steve Hernderson, presidente do Instituto Christian Consulting for Colleges and Ministries, demonstrou que cerca de 58% dos jovens cristãos nos Estados Unidos se afastaram da Igreja ao ingressar na universidade.

    A pesquisa foi também aplicada dentro das universidades brasileiras e o resultado foi o mesmo. Preocupante, não acha? Para muitos jovens o primeiro contato com a universidade é conflituoso. Novos contatos, relacionamentos e muitas vezes conflito de idéias. Isso chega a superar a quantidade de mais de um jovem se desviando a cada dois que entram na faculdade.

    A pesquisa com o título ‘Uma questão de valor versus custo’, mostrou que 58¨% dos jovens cristãos se afastaram da igreja ao ingressar na faculdade, e evidenciou o despreparo que muitos deles têm para enfrentar os conflitos da vida acadêmica. 
  “Não podemos pensar em preparar o jovem cristão apenas para resistir à universidade, porque um dia ela terminará, mas prepará-lo para a vida cristã, familiar, profissional e pessoal. Trata-se de um investido não apenas parte da vida do jovem”, declara Helder Cardin, professor no Seminário Palavra da Vida, em Atibaia (SP). 
   O pesquisador se aprofundou no estudo, lembrou ainda que apesar da distância geográfica o comportamento e questionamento são comuns nos dois países (Estados Unidos e Brasil)”.

    A pesquisa inspirou a produção e o lançamento do filme Renúncia, patrocinado pela IEAD no Maranhão, e que será distribuído pela CPAD.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

O amigo do meu filho!!

Queridos leitores, quero compartilhar com vocês esta bela reflexão postada no Blog de meu irmão Sílvio Araújo!

                             
     "Após alguns dos hinos habituais num domingo à noite o pastor da igreja se levantou e foi até o púlpito. Antes de iniciar o sermão, rapidamente apresentou um pregador convidado, que estava ali para participar da introdução. O pastor falou à congregação que o pregador convidado era um dos mais queridos amigos de sua infância, e disse que queria que ele cumprimentasse a igreja e que compartilhasse aquilo que estivesse em seu coração.
     Com isso, o velho pregador subiu até o púlpito e começou a falar.
   "Um pai, seu filho e um amigo do seu filho, estavam velejando pela costa do Pacifico, quando uma tempestade se aproximou rapidamente e impediu todos os esforços de voltarem à costa. As ondas estavam tão altas, que apesar de o pai ser um marinheiro experiente, ele não conseguiu evitar que o veleiro virasse. Os três foram arremessados ao mar quando o veleiro tombou”. 
     O velho pregador hesitou por um instante ao olhar para dois jovens que estavam ali, que pela primeira vez, desde o inicio do culto, pareciam estar se interessando pela história.
   O velho pregador continuou: "Agarrando a bóia, o pai teve que tomar a decisão mais devastadora de sua vida, ele só teve alguns segundos para decidir a qual menino jogaria a corda. O pai sabia que seu filho era salvo e também sabia que o amigo do seu filho não era. A força das ondas não se comparava com a agonia desta decisão. 
   Ao gritar ‘eu te amo, meu filho!’ ele jogou a outra ponta para o amigo do seu filho. Até o momento do pai ter puxado o amigo do filho para o barco tombado, seu filho havia desaparecido nas águas turbulentas, naquela noite escura. O corpo nunca foi encontrado." 
   A esta altura, os dois jovens estavam ansiosamente olhando para ele a fim de ouvirem as próximas palavras que sairiam da boca do ministro.
   Ele continuou: "O pai sabia que seu filho entraria na eternidade com Jesus e ele não podia agüentar o pensamento de que amigo do seu filho entraria na eternidade sem Jesus... Portanto ele sacrificou o seu filho, para salvar o amigo do seu filho. Quão grande é o amor de Deus, que O levou a sacrificar seu único filho para que nós pudéssemos ser salvos. Eu suplico que você aceite Sua oferta de resgatar você, e agarre a outra ponta que Ele esta jogando para você neste culto". 
   Com isto o velho pregador voltou e sentou em seu lugar. O silêncio tomou conta do auditório. 
   O pastor então, subiu vagarosamente ao púlpito, e pregou um breve sermão com um apelo no final. Poucos minutos após o término do culto, os dois jovens estavam ao lado do velho pregador. 
  "Foi uma estória muito bonita" disse educadamente um dos rapazes, "mas eu não achei muito realista dar seu filho na esperança de que o outro menino se tornasse um cristão".
  "Bem, você até tem uma certa razão," O velho pregador respondeu, olhando a sua Bíblia desgastada. 
   Um enorme sorriso abriu no seu rosto, mais uma vez olhou para garotos e disse: 
  "Não foi muito realista, não é? Mas eu estou aqui hoje para te contar este fato, que me dá uma pequena idéia de como deve ter sido para Deus dar seu único Filho por mim e por vocês, para que fossemos salvos, mesmo sabendo que muitos não acreditariam nisso. Veja!….  Eu sou aquele pai e o seu pastor é o amigo do meu filho." 
      _____________________________________________
              Ao terminar de ler esta bela reflexão, lembrei-me desta bela música do Conjunto Nova Jerusalém (LP Vento Forte), que tem como título "Içar à Vela).  Uma das que marcaram a minha caminhada com Cristo.


Içar à Vela - Conjunto Nova Jerusalém (LP Vento Forte)
Içar a vela deixar o que passou pra trás
Guardar a Fé no coração
Sei Quem me leva por isso sigo em paz
Forte como o sol
É Quem está a me guiar
Sigo confiante no balanço das ondas do mar
Pois sei Quem me leva, por isso sigo em paz
Sei que me leva, por isso sigo em paz
Como vento forte
É Quem está a me empurrar
Por isso sei que chegarei
Jesus é quem me leva, por isso sigo em paz
Içar a vela deixar o que passou pra trás
Jesus é Quem me leva por isso sigo em paz
Vi primeiro no Blog  http://silvio-araujo.blogspot.com

sábado, 7 de janeiro de 2012

Compositor busca voz especial para "nota nunca cantada antes"!


Músico busca pessoa capaz de cantar em um mi quase três oitavas abaixo do dó central


    O compositor britânico Paul Mealor está à procura de uma voz masculina capaz de alcançar notas tão graves que talvez nunca tenham sido cantadas antes.

     Mealor é do País de Gales e tem 36 anos. No ano passado, foi convidado a compor uma peça para a cerimônia de casamento do príncipe William. Ele também foi notícia no Natal ao emplacar uma de suas composições na cobiçada posição número 1 da parada britânica.
      Agora, o músico e sua gravadora, Decca, anunciaram que estão em busca de um baixo profundo capaz de realizar um feito extraordinário: cantar um mi quase três oitavas abaixo do chamado dó central.
       A nota está incluída em uma nova composição de Mealor, De Profundis, peça coral ainda não gravada.
      Uma especialista em voz ouvida pela BBC Brasil disse não ter conhecimento de que alguém possa alcançar essa nota.

Busca Mundial - "Meu arranjo de De Profundis requer uma voz encorpada e poderosa, uma voz que possa não apenas tocar o coração com sua sinceridade e verdade, mas que também faça cada fibra do corpo humano ressoar enquanto desce até as regiões mais baixas do espectro vocal", disse Mealor.
       A nota em questão está seis semitons abaixo da nota mais grave encontrada em uma obra coral tradicional - um si bemol incluído nas Vespers do compositor russo Sergei Rachmaninov.
    "Nunca ouvi alguém chegar a essa nota", disse à BBC Brasil a fonoaudióloga especializada em voz e professora de canto paulistana Beth Amin. "Mas sabemos que as vozes mais graves do mundo estão no leste europeu."
      Amin explicou que estilos de canto praticados na Mongólia e por monges tibetanos podem produzir sons bastante graves.
       "Esses cantores usam as estruturas em torno da laringe, como a língua e o nariz, para alterar o som emitido pela corda vocal e produzir uma frequência mais grave. Mas não existe flexibilidade e é muito difícil de cantar melodias nesse registro".
       Não há indícios de que Mealor esteja, no entanto, procurando cantores que atuam fora da tradição ocidental de canto lírico. A busca da voz está sendo feita por meio de revistas especializadas e também por um website.
      A composição campeã de Paul Mealor na parada natalina, Wherever You Are, cantada pelo coral Military Wives, foi o single de vendagem mais rápida dos últimos seis anos na Grã-Bretanha.
      A peça comoveu o público ao utilizar como letra trechos de cartas enviadas e recebidas por esposas de militares a combatentes britânicos no Afeganistão.
       Resta saber se a nova obra coral de Mealor conseguirá vencer o desafio técnico imposto pelas notas graves para alcançar de fato o coração do ouvinte. As gravações devem ter início na primavera britânica.
Fonte: BBC

Vi primeiro no Blog http://silvio-araujo.blogspot.com/

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012